sábado, 20 de agosto de 2011

Canção do Soldado, Adriano Correia de Oliveira

Adriano Correia de Oliveira - As balas

Adriano Correia de Oliveira - Erguem-se muros

Rosa de Sangue - Adriano Correia de Oliveira

Adriano Correia de Oliveira - "Lira"

ilhas de bruma 2

luis represas - "feiticeira"

Ser Poeta - Florbela Espanca

terça-feira, 16 de agosto de 2011

Afectividade


Afeição (vinda de afeto), é representado por um apego a alguém ou a alguma coisa, gerando carinho, saudade (quando distantes), confiança e intimidade, o termo perfeito para amor entre duas pessoas. O afeto, é um dos sentimentos que mais gera autoestima entre pessoas (principalmente jovens e idosos), pois produz um hormônio que garante o bem-estar do corpo. Um conjunto de fenômenos psíquicos que se manifestam sob a forma de emoções, sentimentos e paixões, acompanhados sempre da impressão de dor ou prazer, de satisfação ou insatisfação, de agrado ou desagrado, de alegria ou tristeza.
In: Wikipédia

domingo, 14 de agosto de 2011

Mc Cams - Para sempre

Este tema para mim continua a ter alguma magia...

Sinto-me ,,,

Pois é, constatam-se coisas incríveis ao observar perfis de pessoas na net, os registos regra geral dizem-nos o que fazemos ou não fazemos principalmente quando são públicos.
Fico feliz por ver que o perfil de uma pessoa minha conhecida até Outubro do ano passado, era notório que utilizava a net para diversão e com uma taxa de ocupação de vídeos de 2% em relação ao global da sua actividade e diversificado entre vários artistas, no entanto algo se passou na vida dessa pessoa, que inverteu precisamente o sentido da emissão de vídeos em que a percentagem de colocação de vídeos passou para 98 % e, o mais cómico é que passaram a ser dois artistas os bafejados pela sorte, por cómico que pareça penso que essa pessoa na altura pretendia algo mais do que apenas colocar vídeos ... enfim opções de vida e de gostos que no entanto muitas vezes são impossíveis ou possíveis no reino de OZ.

Mais um dia

Está um calor convidativo a dar uns mergulhitos na praia mas ... não pode ser.
Ontem, a noite foi de frango assado que por sorte até estava saboroso e de convivio com amigos, uma noite bem passada e de poucos copos pois, o balão está sempre na mente de quem leva quatro rodas e nada mais que um copito de tinto estragado com uma gasosa. LOL, é só para não fazer referencia a marcas. Enfim um dia 13 bem passado, até é para admirar.

sexta-feira, 12 de agosto de 2011

13

Numero dedicado ao azar motivo de festas e romarias, de amores e desamores, e de outras tantas maleitas enfim, tenho azar com o gajo, tudo o que começo e que tenha este numero vai por agua abaixo.

Fecho de escolas

Estremoz, não tem encerramento de estabelecimentos do 1º ciclo do ensino básico.
Para ver as escolas que encerram clique no link abaixo:
http://www.min-edu.pt/data/escolas_1ciclo_encerrar_2011_2012.pdf

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Pelas ruas da nossa cidade.

Nas minhas voltas pela cidade, vou apreciando em jeito de balanço pelo menos o que é visível para o mais comum dos cidadãos.

Olhando para trás poderíamos dizer que nada ou pouco se fez, no entanto a realidade socioeconómica do País leva-nos a ver a questão noutros moldes.

A cidade é certo que não cresce ao ritmo desejado pelos Estremocenses mas, poderíamos dizer que se vai vendo uma ou outra obra pública, convêm dizer que embora de pequena monta mas, é o dinheiro que se vai arranjando para efectuar o que é mais urgente.

Olhando para algumas estradas e caminhos que existem no concelho foram concluídos, não tiro aqui o mérito ao anterior executivo nesta como noutras obras, mas tenho de dar ainda uma nota mais alta ao actual executivo, pois ao contrario do que os seus antecessores que o que fizeram que foi colocar na gaveta os projectos existentes este executivo, deu andamento a tudo o que estava aprovado e em fase de candidatura.

Vejo com agrado que hoje já se controle a água que gastamos e que retiramos dos furos com a recuperação do sistema que existia de controlo à distância.

É também com agrado que já se faz o calcetamento e tapagem do esgoto a céu aberto no troço da nacional 18 ao Gil até á rotunda do mármore, acabando com o cheiro nauseabundo dos esgotos que por lá corriam.

Olhando para o rossio algumas modificações vão surgindo à espera da regeneração urbana no entanto, já se olha com agrado para o antigo posto da PVT e qualquer dia para o coreto.

Um outro problema que se colocava no centro da cidade era o lago do jardim que o cheiro a podre que emanava era doentio junto a um parque infantil, em boa hora foi arranjado e recolocados os repuxos de circulação de água.

O terminal rodoviário está a meu ver a andar bem, para que também seja satisfeita mais uma aspiração das nossas populações.

Hoje fico por aqui

quarta-feira, 10 de agosto de 2011

Pensamentos

Temos alturas nas vidas que somos muito felizes, os ventos correm de feição e anda de vento em popa.
No entanto, ela também nos prega grandes partidas e que partidas, principalmente quando necessitamos de apoio e vivemos na incerteza de algo que nos poderá acontecer em breve mas, a vida tem isso, quando não necessitamos de nada, temos amigos, confidentes e demais coisas, mas em determinadas alturas vemos que apenas somos mais um, isolado nesta sociedade que apenas vê os bens materiais e nada mais que isso, enfim, somos uma sociedade consumista que não olha ao que de verdadeiro se deve preservar na vida.
Na realidade, somos pessoas com sentimentos e que muitas vezes desesperamos por algo sem importância, seja na ansiedade, seja na maior importância que damos a algo que não está a correr bem connosco.
Muitas vezes sentimos-mos incapazes para conseguir resolver as situações que se nos deparam. Um facto é que com o que existe hoje em termos de informação neste mundo global chamado www, leva-me a pensar no que não devia ler certo tipo de informação e, muitas vezes erradamente algo que até nos poderia interessar mais para a frente causa-nos receios, ansiedade e outras coisas que não deveríamos pensar.
Mas deixemos disto e de lamechices falemos do bom que tem a vida.
Estava a recordar agora precisamente aquela viagem pelo Sena de Bateaux Mouche, bastante agradável e que vai da réplica da Estátua da Liberdade até à Catedral de Notre Dame, feita ao entardecer dando para apreciar quanto belas são as suas magnificas pontes, bem como o seu casario de características fundamentadas no romantismo Francês. Apreciar o Louvre, a Torre Eiffel, enfim uma serie de monumentos de impar beleza e ver o entardecer contemplando a cidade luz a iluminar-se no seu esplendor de beleza.
Depois pela noite um passeio pela opera de Paris, pelas suas áreas comerciais e não faltando uma visita ao Molin Rouge enfim, Paris é Paris.
Na memoria ficaram também alguns elementos de arquitectura, iniciando pelo Arc de la Defense , passando pelo Arc do Triunphe, pelo Obélisque de Louxor, oferecido pelos egípcios e decorado com centenas de hieróglifos referentes ao Faraó Ramsés II e mais recentemente com a colocação da Pirâmide de vidro junto ao museu do Louvre que tanta controvérsia gerou pela especulação do seu numero de elementos de vidro que seria de 666, precisamente o numero da besta no livro do apocalipse e, finalizamos a nossa viagem na Catedral de Notre Dame de uma beleza e imponência indescritível, só vendo mesmo.
Enfim, uns dias bem passados.

Como estou velho, aos olhos de alguém lá vai

Estes foram o genericos de entrada de grandes series que, nos prendiam ao pequeno ecrã.
Nos tempos em que nada era proibido. ASSIM AQUI DEIXO ALGUMAS RECORDAÇÕES
4 DO BLINDADO E O SEU CÃO




Sandokan




Pequenos vagabundos



BONANZA




ILHAS PERDIDAS



SKIPPY








A Mentira

Porque é que, na maior parte das vezes, os homens na vida quotidiana dizem a verdade? Certamente, não porque um deus proibiu mentir. Mas sim, em primeiro lugar, porque é mais cómodo, pois a mentira exige invenção, dissimulação e memória. Por isso Swift diz: «Quem conta uma mentira raramente se apercebe do pesado fardo que toma sobre si; é que, para manter uma mentira, tem de inventar outras vinte». Em seguida, porque, em circunstâncias simples, é vantajoso dizer directamente: quero isto, fiz aquilo, e outras coisas parecidas; portanto, porque a via da obrigação e da autoridade é mais segura que a do ardil. Se uma criança, porém, tiver sido educada em circunstâncias domésticas complicadas, então maneja a mentira com a mesma naturalidade e diz, involuntariamente, sempre aquilo que corresponde ao seu interesse; um sentido da verdade, uma repugnância ante a mentira em si, são-lhe completamente estranhos e inacessíveis, e, portanto, ela mente com toda a inocência.

Friedrich Nietzsche, in 'Humano, Demasiado Humano'

segunda-feira, 8 de agosto de 2011

A Mentira Agrada Mais do Que a Verdade

O espírito do homem é feito de maneira que lhe agrada muito mais a mentira do que a verdade. Fazei a experiência: ide à igreja, quando aí estão a pregar. Se o pregador trata de assuntos sérios, o auditório dormita, boceja e enfada-se, mas se, de repente, o zurrador (perdão, o pregador), como aliás é frequente, começa a contar uma história de comadres, toda a gente desperta e presta a maior das atenções.
Como é fácil essa felicidade! Os conhecimentos mais fúteis, como a gramática por exemplo, adquirem-se à custa de grande esforço, enquanto a opinião se forma com grande
facilidade, contribuindo tanto ou talvez mais para a felicidade. Se um homem come toucinho rançoso, de que outro nem o cheiro pode suportar, com o mesmo prazer com que comeria ambrósia, que tem isso a ver com a felicidade? Se, pelo contrário, o esturjão causa náuseas a outro, que temos nós com isso? Se uma mulher, horrivelmente feia, parece aos olhos d
o marido semelhante a Vénus, para o marido é o mesmo do que se ela fosse bela. Se o dono de um mau quadro, besuntado de cinábrio e açafrão, o contempla e admira, convencido de que está a ver uma obra de Apeles ou de Zêuxis, não será mais feliz do que aquele que comprou por elevado preço uma obra destes pintores e que olhará para ela talvez com menos prazer?

Erasmo de Roterdão, in "Elogio da Loucura" (fala a Loucura)

Mentiras


Tu julgas que eu não sei que tu me mentes
Quando o teu doce olhar pousa no meu?
Pois julgas que eu não sei o que tu sentes?
Qual a imagem que alberga o peito meu?

Ai, se o sei, meu amor! Em bem distingo
O bom sonho da feroz realidade...
Não palpita d´amor, um coração
Que anda vogando em ondas de saudade!

Embora mintas bem, não te acredito;
Perpassa nos teus olhos desleais
O gelo do teu peito de granito...

Mas finjo-me enganada, meu encanto,
Que um engano feliz vale bem mais,
Que um desengano que noscusta tanto!

domingo, 7 de agosto de 2011

Coisas da vida

Muitas vezes, chegamos a certa idade e colocamo-nos a pensar o que foi a nossa vida e, chegamos a conclusões interessantissimas.
Ao jeito de muito boa gente, se olharmos para a nossa em alguns casos daria umas boas mil páginas, outros, quaisquer 5 páginas chegariam e mesmo assim, teríamos de aumentar o espaçamento entre as palavras para que elas ficassem cheias.