sábado, 28 de fevereiro de 2009

sexta-feira, 27 de fevereiro de 2009

Estremoz - Quem prometeu em 2005




Apostamos em novas políticas de habitação. Financiaremos a recuperação das áreas urbanas degradadas e a construção nos aglomerados urbanos (cidade e freguesias).

Nota breve

O tema " Estremoz - quem prometeu em 2005 ", tem os conteúdos programáticos dos partidos candidatos às autárquicas, os textos foram retirados na integra dos respectivos programas.

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2009

Estremoz - Património abandonado

Voltando a um assunto sobre o qual escrevi há alguns anos, os pontos de distribuição de água para consumo humano vulgo marcos de água estão na maior parte desactivados, sabemos que este precioso liquido não abunda mas, poderia estar disponível para quem está a ver um espectáculo como o corso de Carnaval por exemplo ou para quem sobe até ao castelo pela Porta da Lage, aproveitar para descansar um pouco no banco mural existente e saciar a sede no marco existente. Danificado há mais de 3 anos.
Em época de crise económica, é bom pensar que grande parte da nossa população aufere vencimentos abaixo dos 500 euros ou, está desempregada e que comprar agua engarrafada no comércio pode obrigar a outros cortes orçamentais, quando a mesma poderia estar disponível gratuitamente.
Uma forma de bem receber quem nos visita.

Estremoz - Quem prometeu em 2005



O ordenamento territorial é uma prioridade dos municípios do novo milénio. Neste âmbito a revisão participada do Plano Director Municipal (PDM) é um compromisso inequívoco que assumimos.

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2009

Estremoz - Quem prometeu em 2005


Rentabilizaremos o potencial turístico, valorizando e promovendo o concelho de Estremoz como destino turístico primordial.

terça-feira, 24 de fevereiro de 2009

Estremoz - Carnaval fotos e videos

Mais um Carnaval chega ao fim, deixo aqui o filme com fotos e vídeos do ultimo dia e, os vencedores do melhor grupo e do melhor carro. Ambos os prémios foram atribuídos à Associação Equestre de Estremoz.













melhor grupo








melhor carro

Estremoz - As questões do Pinóquio


Para os que dizem que ando doente uma resposta se coloca:

Não!

Como informação complementar visite o link abaixo para ver quando as questões que o Pinóquio está a colocar foram colocadas pela primeira vez.


Estremoz - Quem prometeu em 2005


Criaremos condições para a instalação de empresas nas Zonas Industriais de Arcos e Estremoz.

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2009

Estremoz - o PS e a Água

Hoje estava a dar uma volta pela versão sapo do Estremoz em debate e encontrei este extracto de uma acta da Assembleia da Republica uma autentica pérola.

"Aqui apresento um excerto que achei interessante em que os políticos também conhecem Estremoz na Assembleia da Republica ... Palavras ... leva-as o vento.

I Série - Nº 16 - 05 de Maio de 2005
X Legislatura - 1.ª Sessão Legislativa (2004-2005)
Reunião Plenária de 04 de Maio de 2005

O Sr. Presidente: - Tem a palavra o Sr. Deputado Ceia da Silva.

O Sr. Ceia da Silva (PS): - Sr. Presidente, Srs. Ministros e Srs. Secretários de Estado, Srs. Deputados, Srs. Deputados do PSD: De facto, chegámos todos hoje a uma conclusão nesta Câmara: os senhores não estiveram no governo nestes últimos três anos - nós já o sabíamos e a população portuguesa também.

Aplausos do PS.

A problemática da seca é uma situação que deve merecer de todos nós uma postura de Estado e uma intervenção nacional acima dos aproveitamos políticos ou das questiúnculas partidárias. Essa, Srs. Deputados do PSD, não deveria ser a vossa atitude e não deveria ser, ainda mais, face ao modo como a vossa velha maioria geriu este dossier no governo.
E permitam-me que lhes ofereça dois elementos preciosos de diagnóstico da seca, que lhes fazem muita falta: um calendário de bolso e um relatório dos serviços de meteorologia e hidrologia. É que a seca não começou com a tomada de posse deste Governo, Srs. Deputados! A seca começou a registar-se, em Portugal, em Novembro do ano transacto, e, mais, em Dezembro, a seca era excepcional, em 50 anos de recorrência em relação ao passado.

E qual foi a atitude de VV. Ex.as, então, no governo? Praticamente inexistente. Aliás, em Janeiro deste ano, nesta mesma Câmara, afirmavam - e também podia referir a actas, mas o Sr. Deputado Mendes Bota já o fez - os Srs. Deputados do PSD e do CDS-PP que "os problemas climáticos extravasavam largamente a actuação dos governos". Mudou-se o tempo, muda-se o discurso!!…

Aplausos do PS.

É claramente uma postura que não aceitamos, ao contrário da postura que as associações de agricultores, que os homens ligados à agricultura têm tido em relação ao comportamento e à atitude do Ministério da Agricultura.
Em nome da bancada do PS, quero aqui elogiar este Governo, cuja atitude neste dossier é irrepreensível, já que, apenas duas semanas após a tomada de posse, acabou por criar a Comissão para a Seca 2005, comissão esta que reflecte o verdadeiro sentido de Estado deste Governo (contrariamente à vossa atitude!), envolvendo a sociedade civil, as associações ambientalistas, as autarquias e os bombeiros - aliás, no âmbito desta mesma Comissão, os próprios bombeiros já redefiniram a sua estratégia de forma concertada em relação ao combate aos incêndios, face aos baixos níveis de água nas albufeiras, e também numa perspectiva integrada, como sabem, já o Governo socialista, através do Ministério da Administração Interna, antecipou a época de fogos para 15 de Maio, ao contrário da vossa atitude no governo também já com a situação de seca.
Srs. Deputados do PSD, quando os senhores desvalorizaram a seca - e foram os senhores que a desvalorizaram! - aqui, em Janeiro, anunciava, nessa data, o vosso ex-ministro da Agricultura - que, pelos vistos e para bem do País, não foi eleito no círculo eleitoral de Portalegre -…

Protestos do PSD.

… anunciava, nessa mesma data, o vosso ex-ministro da Agricultura, repito - e com pressupostos da resolução não do problema da seca mas da doença da língua azul -, um apoio de 20 milhões de euros. Pois bem, a única medida da velha maioria em relação à questão da seca foi esta: ignorar e desvalorizar, numa atitude irresponsável, aquilo de que, agora, de repente, se lembra. Mais uma vez, Srs. Deputados do PSD, fazem-no tarde e a más horas!
Quando o PS chegou ao Governo existiam apenas duas cartas da Comissária Europeia da Agricultura, cartas que solicitavam ao Sr. Ministro da Agricultura que fundamentasse os pedidos mal elaborados pelo anterior governo - o Sr. Deputado Mendes Bota esqueceu-se de o referir… Ora, perante esta situação, qual foi a atitude (que quero realçar e elogiar) do nosso Ministro da Agricultura? De imediato, e apenas dois dias após ter tomado posse, o Sr. Ministro da Agricultura estava em Bruxelas a renegociar e a obter ajudas europeias para a agricultura portuguesa.

O Sr. Mota Andrade (PS): - Essa é que é a verdade!

O Orador: - Muito ganhou, não o PS, não o Governo, mas o País com a sua investidura, Dr. Jaime Silva, como Ministro da Agricultura!

O Sr. Luís Marques Guedes (PSD): - Afinal, já está tudo bem…!

O Orador: - O seu conhecimento profundo desta área e dos dossiers comunitários foi decisivo para a concretização das medidas que agora anunciou e que considero vitais para a nossa agricultura - linhas de crédito bonificadas a 100%, no valor de 125 milhões de euros.
Os Srs. Deputados da velha maioria falam hoje da seca e do abastecimento de água, mas o que fizeram, nos últimos três anos, ao plano de regadio aprovado nos governos socialistas? O que fizeram ao regadio do Alqueva? O que fizeram à barragem do Pisão no Crato, anunciada em 21 de Abril de 2001, já lá vão quatro anos?… O que fizeram à barragem de Estremoz? Então, agora é que se lembram da seca e da falta de água?!…
Parece-me, mais profundamente, falta de senso - o senso e o conceito de Estado que uma situação como esta mereceu deste XVII Governo!
Falam do Fundo de Solidariedade da União Europeia e eu pergunto: será que desconhecem os regulamentos comunitários? Não sabiam que tinham um prazo de 10 semanas, o mais tardar, para comunicar à União Europeia que o Estado sinistrado solicitou um pedido de intervenção do referido Fundo?

Vozes do PS: - Bem lembrado!

O Orador: - Então, por que não accionaram esse pedido à União Europeia em devido tempo? E o que fizeram ao plano de regadio?

Protestos do PSD.

Falam hoje do Fundo de Calamidades, mas, Srs. Deputados do PSD, o Fundo de Calamidades foi criado em 1996 por um governo socialista e, entretanto, os senhores estiveram no governo, não o alteraram e podiam tê-lo feito! Mais: no Orçamento do Estado para este ano, dotaram esse mesmo Fundo de Calamidades com uma verba de 2 milhões de euros…!!
Se o Sr. Ministro da Agricultura tivesse accionado esse Fundo, sabem o que isso significava? Cerca de um quarto dos apoios que os agricultores vão receber através das medidas anunciadas pelo Sr. Ministro!
Há pouco, também falaram da "lei-quadro da água". Pois bem, no tempo em que estiveram no governo elaboraram quatro "leis-quadro da água", sem saberem qual delas haviam de apresentar. Nunca as concretizaram! E hoje, na oposição, apresentam um projecto de lei-quadro da água…

Protestos do PSD.

Também é bom recordar os Srs. Deputados que, em 2002, havia um Plano Nacional de Alterações Climáticas.

O Sr. Luís Marques Guedes (PSD): - Na "gaveta"!

O Orador: - Para concluir, gostava de reforçar que, em vez de palavras, são necessárias atitudes, actuação no terreno, e é essa actuação no terreno, essa atitude certa no momento certo que quero registar em relação ao Governo.
O povo português reconhecerá a atitude e a postura, a determinação e a competência deste Governo.

In: grupo parlamentar do PS

Depois de ler isto de que estão à espera os nossos politicos para dar andamento aos processos de construção da barragem de Veiros e da Frei Joaquim na Serra d'Ossa."

ESTREMOZ - Património Militar

Outrora foi Hospital Militar e mais recentemente Casa das Fardas, este é o estado de degradação do património do Estado pertencente ao Ministério da Defesa.
Não se admite que na zona nobre da cidade continuem a existir este tipo de situações com o Património de todos nós.

Há mais...

Estremoz - Quem prometeu em 2005


Interviremos em conjunto com o Governo de Portugal na reabilitação e qualificação dos centros urbanos em especial no Bairro de Santiago – Estremoz (Rede de águas e esgotos, arruamentos, iluminação, espaços verdes, ordenamento de trânsito).

sábado, 21 de fevereiro de 2009

domingo, 15 de fevereiro de 2009

Estremoz - fica ou não fica

É uma dúvida com que ficamos depois da alteração do cruzamento para rotunda, o que na verdade beneficiou os automobilistas. O poste de média tensão teima em continuar no meio da via projectada para as habitações ali existentes.Qualquer dia, poderá acontecer que o construtor das infraestruturas faça como em muitos locais e, opte por esta solução:
e de seguida lá teremos "Nós por cá" novamente .
(a imagem final é montagem não está assim mas...)

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

Estremoz e o poder discricionário

Estremoz, sofreu nos últimos anos em termos laborais no Município de uma faculdade dada aos Presidentes de Câmara, que incidia sobre a progressão nas carreiras dos seus trabalhadores. Em caso de certa carreira/categoria, ter menos de 5 colaboradores o Sr Presidente, poderia de acordo com o seu poder discricionário decidir se esse trabalhador poderia ou não passar à categoria seguinte, no caso dos operários a titulo de exemplo e para melhor se compreender damos o exemplo do Mecânico a Mecânico Principal. Contando que era necessário permanecer posição de Mecânico durante seis anos para então reunir as condições de passar a Principal, e assim sucederia por ordem natural em todas as carreiras, desde que tivessem esse numero de trabalhadores para se poder efectivar o concurso, o pior é que, a maioria das categorias tem um ou dois funcionários e ai estava o poder de decisão do autarca.
Um facto, é que quem trabalha num município tem como objectivos servir o melhor possível a comunidade local e como é lógico, ver o seu esforço compensado com a progressão na sua carreira, o que não aconteceu nos últimos tempos.
Para quem está mais atento ao Diário da Republica, pode ter reparado que foram abertos vários concursos no final do ano transacto, que por sua vez caducariam em 31 de Dezembro de 2008, em virtude da entrada em vigor da lei 12-A de 2008 de 27 de Fevereiro.
No entanto e como se costuma dizer, está na mão do sr Presidente resolver a situação dos seus colaboradores neste termos, pois a lei continua a facultar-lhe o poder de colocação nos respectivos escalões renumeratórios, os trabalhadores que foram prejudicados pela entrada em vigor da presente lei.
Assim sendo e numa leitura do Nº 1 do Artigo 46 da lei 12-A/2008 "
Alteração do posicionamento remuneratório: Opção gestionária
1 — Tendo em consideração as verbas orçamentais destinadas a suportar o tipo de encargos previstos na alínea b) do n.º 1 do artigo 7.º, o dirigente máximo do órgão ou serviço decide, nos termos dos n.os 3 e 4 do mesmo artigo, se, e em que medida, este se propõe suportar encargos decorrentes de alterações do posicionamento remuneratório na categoria dos trabalhadores do órgão ou serviço."

e da leitura que se pode ter da alínea b) do n.º 1 do artigo 7.º da mesma lei
"Artigo 7.º
Orçamentação e gestão das despesas com pessoal
1 — As verbas orçamentais dos órgãos ou serviços afectas a despesas com pessoal destinam -se a suportar os seguintes tipos de encargos:
a) Com as remunerações dos trabalhadores que se devam manter em exercício de funções no órgão ou serviço;
b) Com o recrutamento de trabalhadores necessários à ocupação de postos de trabalho previstos, e não ocupados, nos mapas de pessoal aprovados e, ou, com alterações do posicionamento remuneratório na categoria dos trabalhadores que se mantenham em exercício de funções;
.........
3 — Compete ao dirigente máximo do órgão ou serviço, ponderados os factores referidos na alínea a) do número anterior, decidir sobre o montante máximo de cada um dos tipos de encargos referidos na alínea b) do n.º 1 que se propõe suportar, podendo optar, sem prejuízo do disposto no n.º 6 do artigo 47.º, pela afectação integral das verbas orçamentais correspondentes a apenas um dos tipos.
4 — A decisão referida no número anterior é tomada no prazo de 15 dias após o início de execução do orçamento."

Poderíamos concluir que:
Se houver vontade e crer, o problema dos colaboradores que foram prejudicados pela entrada em vigor desta lei, pode ser resolvido.

sexta-feira, 6 de fevereiro de 2009

Se eu fosse Primeiro - Ministro

Hoje estava nas minhas pesquisas e deparei-me com um blogue que me fez parar, "Se eu fosse Primeiro Ministro" da autoria de Vítor Oliveira, entrei e encontrei bons textos e umas imagens das quais seleccionei uma e que vou utilizar por aqui para aguçar o apetite. Fica o link para o blogue e sugerindo uma passagem por lá.
Se ao menos ele (Sócrates) e os seus comparsas nestas coisas politicas, cumprissem o que está na parte debaixo do autocolante e cartaz do PREC,(modificado) haveria menos manifestações, discursos como os que vi ontem na Assembleia da Republica e malhar à direita, PCP e BE, não percebi aquela do Ministro Santos Silva, será que já se esqueceu que está do lado oposto das bancadas da Assembleia e está a confundir, que o lugar em que está sentado já não é o de deputado, ai sim à sua direita estariam o BE e o PCP, enfim ilusões de óptica iguais à visão que o governo tem da situação real do País.

ESTREMOZ - REUNIÃO DE CÂMARA MUNICIPAL DE 04/02/2009

ASSUNTOS TRATADOS:

1 - Foi aprovada a proposta de “Protocolo com as Juntas de Freguesia - Refeitórios Escolares” para o período lectivo 2009/2010 e a sua remessa à Assembleia Municipal para aprovação. O documento fixa em 700,00 € o valor da transferência mensal para garantir uma eficiente gestão dos refeitórios escolares e em 2,05 € o valor por refeição/aluno;

2 - Foi aprovada a proposta de “Protocolo com as Juntas de Freguesia - Transportes Escolares” para o período lectivo 2009/2010 e a sua remessa à Assembleia Municipal para aprovação. O documento fixa em 0,47 € o valor por cada quilómetro percorrido pelas viaturas responsáveis pelo transporte dos alunos desde a área da sua residência na área territorial da freguesia para o estabelecimento escolar;

3 - Foi deliberado emitir a “Declaração de Interesse Municipal” solicitada pela empresa "Espaço Equestre", relativamente à instalação de um Centro Hípico na área do concelho de Estremoz;

4 - Foi deliberado proceder à abertura do Concurso Público para "Fornecimento de uma Motoniveladora", aprovar os respectivos Programa de Concurso e Caderno de Encargos e nomear o júri do procedimento;

5 - Foi deliberado proceder à abertura do Concurso Público para a Empreitada de "Requalificação do Baluarte de Nossa Senhora da Conceição", aprovar os respectivos Programa de Concurso e Caderno de Encargos e nomear o júri do procedimento;

6 - Foi deliberado proceder à abertura do Concurso Público para a Empreitada de "Requalificação do Meio Baluarte de S. Pedro", aprovar os respectivos Programa de Concurso e Caderno de Encargos e nomear o júri do procedimento;

7 - Foi deliberado proceder à abertura do Concurso Público para a Empreitada de "Beneficiação da E. M. 504-1 entre o I. P. 2 e S. Bento do Cortiço", aprovar os respectivos Programa de Concurso e Caderno de Encargos e nomear o júri do procedimento;

8 - Foi aprovado o esboço do Protocolo a celebrar entre o Município e o "GEOTA - Grupo de Estudos de Ordenamento do Território e Ambiente", relativo à concretização de um Projecto denominado "O Meu Eco-Sistema".

O Gabinete de Imprensa

imprensa@cm-estremoz.pt

Nota de imprensa Nº 396

06 de Fevereiro de 2009

quinta-feira, 5 de fevereiro de 2009

Estremoz - e fui até ao cerejal


Há dias e por motivos óbvios fui até ao Cerejal à água, havendo apenas dois carros à minha frente a carregar, o que não foi mau e como tinha tempo dei uma volta pelo local, fui até à antiga fonte que estava a correr, mas, desprezada. No entanto, alguns dos bebe água que por lá aparecem, como desconhecem a existência de ecopontos perto de casa optam, pela via mais fácil para se desfazerem dos garrafões que por algum motivo se danificaram, dando um verdadeiro exemplo de civismo, como podemos observar na foto.

Estremoz e os comentários

Tendo lido em blogues da nossa praça, alguns comentários que pretendem insinuar que sou eu o autor do blogue, desde já vos deixo aqui os Blogues que tenho activos:
  • Estremoz em debate
  • Estremoz em debate - Autárquicas 2009
  • Estremoz
  • Estremoz património
Outros blogues Inactivos
  • Sátiro
  • Momentos Estremoz em debate
  • Jornal ecos ( Página não oficial) até Maio de 2007
Penso assim esclarecer de uma vez por todas a minha participação no ciberespaço Estremocense. Portanto se querem saber quem é o autor ou autores de determinados blogues só têm uma coisa a fazer, solicitem ao prestador de serviços o nome e morada do autor do blogue.
Eu, quando tiver algum assunto sobre o qual pretenda escrever, escrevo neste espaço e não me refugio no anonimato, para atacar ou denegrir a imagem de alguém.

quarta-feira, 4 de fevereiro de 2009

Estremoz e a água




Aproveitando a sugestão de um anónimo, porque não colocar aqui o comentário dele para abrir um tema novo (velho) a debate.




"E a CDU governa o Alentejo há 30 anos e o Alentejo está hoje na cauda dos parâmetros de desenvolvimento que enumera em relação ao resto do país.Claro que alguns tentam desenvolver as suas terras, como o autarca do Redondo, por exemplo, que em boa hora aderiu à Àguas de Centro Alentejo, foi expulso do partido mas hoje têm uma rede de águas nova no concelho.Penso que é um tema a debater, assim podemos perceber porque luta o executivo estremocense e os estremocenses contra tantos problemas com a água. "

Estremoz - As cidades e villas da monarchia portugueza que teem brasão d'armas Por Ignacio de Vilhena Barbosa

Muitas vezes, somos surpreendidos com literatura que fala sobre Estremoz e as suas origens, deixo aqui esta pequena descoberta de um livro de 1860 que eu desconhecia, mas que aproveitei por arquivar digitalmente. Para ler >>> (Clique aqui) .





desde já informo o seguinte em termos de direitos de autor e disponibilizado pelo google
"Para livros que entrem na Pesquisa de livros através do Projecto Biblioteca, o conteúdo visualizado depende do estado dos direitos de autor do livro. Respeitamos as leis de direitos de autor e o enorme esforço criativo que os autores depositam nas suas obras. Se o livro for de domínio público, não estando por isso protegido por direitos de autor, pode percorrer o livro na íntegra e até transferi-lo e lê-lo off-line. Mas se o livro estiver protegido por direitos de autor e a editora ou o autor não fizer parte do Programa de parceiros, só podemos apresentar informações básicas sobre o livro, à semelhança de um catálogo em fichas e, em alguns casos, alguns excertos, ou seja, frases que contextualizam os termos da pesquisa. O objectivo da Pesquisa de livros do Google é ajudar a descobrir livros e a identificar os locais onde estes podem ser comprados ou requisitados, e não a sua leitura do princípio ao fim. É como ir a uma livraria e procurar - com a mão do Google."